Programa

 

A equipa de missão para a instalação do Arquivo Nacional do Som orientará a sua ação em conformidade com os padrões internacionalmente estabelecidos, seguindo o princípio de boas-práticas sujeitas a uma orientação pragmática.

Nesse sentido, irá considerar os modelos e protocolos dominantes, adaptando-os, quando necessário, a condições específicas. As soluções encontradas serão revistas regularmente, em articulação com o saber arquivístico internacionalmente estabelecido, corrigindo limitações e melhorando os modelos e protocolos de partida. No entanto, todas as ações deverão procurar inovar sempre que tal se julgue possível. A flexibilidade e a inovação projetada estarão sempre moldadas pela necessária interoperabilidade interinstitucional e transnacional.

Tendo em vista a produção de um dossier que forneça a informação considerada necessária para a constituição da estrutura arquivística, a Equipa de Instalação organizará o seu trabalho em três fases.

 

1. Enquadramento teórico.
Nesta fase a equipa recolherá, organizará e processará informação técnica relativa a estruturas arquivísticas, património, legislação aplicável, protocolos e standards.
Essa recolha de informação resultará de,

  • uma detalhada revisão da produção bibliográfica que possa elucidar sobre os standards e as melhores práticas nos diversos domínios com relação direta ou indireta a documentos sonoros;
  • realização de visitas técnicas a estruturas estrangeiras congéneres, de dimensão internacional, cujo trabalho é reconhecido pela comunidade científica;
  • participação e organização de reuniões técnicas de especialistas nas diversas áreas (arquivos, conservação, IT, entre outros).

 

2. Inventariação.
Para avaliar a dimensão da estrutura a criar e os domínios onde é mais urgente a actuação do Estado, a equipa instaladora irá:

  • Proceder a um inventário de instituições com acervos relevantes para o património sonoro e / ou documentos sonoros;
  • Criar e disponibilizar um formulário on-line para identificação de coleções ou instituições públicas e privadas que ainda não tenham sido sinalizadas;
  • Proceder a um inventário preliminar das existências de cada acervo.

A inventariação de documentos sonoros permitirá também desenhar estratégias de ação mais adequadas e adaptadas à realidade nacional, possibilitará o desenho de uma estratégia informada de constituição de acervos e promover a formação de uma rede de instituições detentoras de documentos sonoros.
Este trabalho permitirá reduzir ao mínimo possível a duplicação de esforços e a maximizar recursos financeiros e humanos.

 

3. Proposta final.
Considerando a informação recolhida na fase 1 e na fase 2 a equipa estará na posse de toda a informação necessária para apresentar um dossier geral, com uma proposta consistente, conforme os padrões técnicos e científicos internacionais, para uma estrutura arquivística que cuide de documentos sonoros, providenciando a sua salvaguarda, estudo, e acesso ao património sonoro português